• Conheça os locais a visitar no Porto

  • Portugal eleito Melhor Destino Turístico Europeu

  • Roteiro pelas caves do vinho do Porto

  • Top 10 dos sítios a visitar em Sintra

[BIZARRO] Capelas de Ossos em Portugal conheça a história!

A primeira das muitas Capelas dos Ossos de Portugal que visitei foi em Faro, capital da região do Algarve. Esta parte mais ao sul do país é mais conhecida por suas praias ensolaradas e vida noturna animada. Descobrir que havia uma capela decorada com ossos humanos a uma curta distância das espreguiçadeiras e bares de karaoke definitivamente fez-me levantar uma sobrancelha.

Certamente foi peculiar o suficiente para ganhar um lugar no meu itinerário de viagem, e eu anotei antes de rolar distraidamente para baixo para ver o que mais Faro tinha a oferecer. Foi só quando eu estava na capela, olhando ao redor, que realmente comecei a pensar sobre o que tinha vindo visitar: uma capela feita literalmente de milhares de ossos humanos.

Não havia uma única seção de parede que não tivesse um crânio, um fêmur ou mesmo uma falange. Acredite em mim, eu olhei. Eu já tinha visto esqueletos antes, é claro, mas apenas em museus (ou nas onipresentes farmácias Kiehl’s que você encontra em todas as ruas, embora eu não tenha certeza de que isso conte). Eu nunca tinha visto tantos ossos ao mesmo tempo, e isso dava a esta capela um poder extra. Para onde quer que eu olhasse havia ossos, ossos e mais ossos.

Mas eles não são apenas ossos, são? Essa e a coisa. São ossos humanos. Eles são os ossos de pessoas que já existiram e agora não existem mais. Os ossos de pessoas que andaram pelas mesmas ruas medievais que eu tinha no meu caminho para a capela, que rezaram na igreja que acabei de visitar.

Eu podia sentir meus olhos correndo ao redor da sala, procurando um lugar seguro para descansar – algum lugar onde eu não estaria olhando para um crânio vazio. Mas, não havia lugar nenhum.

E é exatamente essa experiência que os monges carmelitas do século XIX, que projetaram a capela de Faro, querem que você tenha. Acima da porta da capela estão escritas as palavras “Pára aqui a considerar que a este estado há-de chegar” (pare aqui e considere que você também chegará a este estado). A capela dos ossos de Évora, a maior de todas as capelas dos ossos de Portugal, tem uma inscrição semelhante: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. Que tal um memento mori?

 

Porque é que estas capelas de ossos existem em Portugal?

Tudo começou em Évora, onde se encontra a maior capela de ossos de Portugal. No século 16, os cemitérios dentro e ao redor da cidade estavam ficando superlotados. Uma solução para os cemitérios transbordantes era desesperadamente necessária. Incapaz de simplesmente mover os ossos para outro local, os monges franciscanos de Évora decidiram dar aos cadáveres a honra de fazer parte de algo com um propósito maior.

Na altura, Évora era uma cidade muito rica. Os monges sentiram que essa riqueza estava desviando os cidadãos locais e fazendo-os esquecer a natureza fugaz da vida. Então, para matar dois coelhos com uma cajadada só, eles exumaram mais de cinco mil corpos do cemitério lotado. Eles então os fizeram parte da nova capela, usando cimento para mantê-los juntos.

Apenas para ter certeza de que eles entenderam, eles penduraram dois cadáveres na parede – um dos quais era o corpo de uma criança. Sutileza não era exatamente a coisa deles, embora o design de interiores claramente fosse. Eles até usaram alguns dos ossos para criar um candelabro. A tendência logo se espalhou por Portugal e mais capelas de ossos foram construídas, incluindo a de Faro.

Ficar dentro das capelas é angustiante e santificante em igual medida. Os monges certamente conseguiram o que queriam, porque é impossível não ser lembrado da natureza transitória da vida quando você está olhando para as órbitas vazias de um português do século XVI.

Qual capela de ossos devo visitar?

A capela de Évora é muito maior do que a de Faro, e cinco vezes mais ossos que adornam as paredes (literalmente: são cinco mil em Évora contra mil em Faro). Além de ser maior e mais velho, também é o mais famoso dos dois e aparece com frequência no Instagram e no Pinterest. Apesar disso, achei a capela de Faro consideravelmente mais poderosa.

O facto de ter visitado Faro primeiro provavelmente faz-me sentir inclinado, mas acho que gostei mais porque é muito menos turístico do que o de Évora. Eu era a única pessoa na capela de Faro, e podia realmente ter tempo para estar no momento e deixar a visão mórbida penetrar. Em Évora havia pelo menos outras vinte pessoas na capela comigo, lutando por espaço.

Definitivamente, há algo muito poderoso em ser a única pessoa na sala, sozinha no silêncio de uma tumba. É muito mais provável que você experimente isso em Faro, ou em uma das menores capelas de osso de Portugal, mas não foi apenas estar com outras pessoas que tornou a experiência em Évora menos significativa.

Quando entrei na capela em Évora, todas as pessoas estavam paradas com um braço esticado na frente delas tentando tirar a selfie perfeita. Ao entrar, sob a porta com sua inscrição sinistra, tive que evitar a multidão de turistas que estavam parados rigidamente no local. A ironia do que estava escrito no manto e do que estava acontecendo naquela sala foi completamente perdida para todos.

Ninguém estava presente ou refletindo sobre a natureza transitória da vida. Todo mundo estava pensando em quantas curtidas sua foto teria no Facebook, Instagram e Snapchat. O valor da imagem perfeita valia tanto para eles que valia a pena ignorar a visão sombria ao seu redor e a mensagem dos monges do século XVI.

Ver todas aquelas pessoas de pé assim é uma imagem tão bizarra e ficou comigo desde então – talvez até mais do que os próprios ossos. Costumo ter meu telefone na mão e normalmente sou o último a reclamar sobre outras pessoas se distraindo com os deles, mas a justaposição da mensagem da capela com todas essas pessoas agindo como zumbis foi incrivelmente chocante.

Por mais única que seja essa experiência, eu recomendaria visitar uma capela menor sobre Évora se você tiver a chance. Claro que vou recomendar a Capela dos Ossos, em Faro, ou a capela vizinha em Alcantarilha: outra opção pouco conhecida.

Se decidir visitar a capela em Évora, vale a pena chegar cedo para evitar a multidão de turistas. Quando cheguei, já havia mais de quinze pessoas na capela. Assim que eu estava saindo, um grupo de cerca de vinte pessoas apareceu. Esta é uma das atrações turísticas mais populares de Évora, senão do país, e durante os meses de primavera e outono, pode ficar incrivelmente movimentada.

Encontrar uma capela de ossos

Existem pelo menos seis capelas ósseas diferentes em Portugal, bem como várias outras em toda a Europa. As capelas de Évora e Faro são as mais famosas e as melhores para os turistas, pois têm os horários de funcionamento mais convenientes. Tentei algumas vezes visitar as capelas de Lagos e Alcantarilha, mas não estavam abertas quando apareci.

As capelas de ossos em Portugal são:

  • Capela dos Ossos de Évora
  • Capela dos Ossos de Alcantarilha
  • Capela dos Ossos de Faro
  • Capela dos Ossos de Lagos
  • Capela dos Ossos de Campo Maior
  • Capela dos Ossos de Monforte

capela dos ossos, capela dos ossos alcantarilha, Capela dos Ossos de Alcantarilha, Capela dos Ossos de Campo Maior, Capela dos Ossos de Évora, Capela dos Ossos de Faro, Capela dos Ossos de Lagos, Capela dos Ossos de Monforte, capela dos ossos évora, capela dos ossos porto, capelas de ossos, capelas de ossos em portugal, lenda da capela dos ossos


Made with love by Joline. All rights Reserved.